Como a Depressão Afeta os Relacionamentos

De acordo com o associação sobre doenças mentais e depressivas, a depressão é uma doença mental que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Um em cada dez adultos experimenta sintomas de depressão todos os dias. Embora a depressão afete humor, padrões de sono, apetite, motivação e até vontade de viver, não existem muitas informações sobre como a depressão afeta os relacionamentos amorosos.

Neste artigo, primeiro apresentarei minhas descobertas de pesquisas de várias fontes impressas sobre como a depressão afeta os relacionamentos românticos. Em seguida, discutirei os resultados de várias pesquisas que diversos estudos relatados com a depressão e os relacionamentos apresentaram.

Quando alguém que você ama está deprimido é muito importante ajudar seu ente querido a não se deixar perder. A depressão é uma doença mental devastadora que afeta não apenas a pessoa deprimida, mas também seu relacionamento com todos os que a rodeiam.

Segundo vários estudos, alguém que é casado ou sem um relacionamento com uma pessoa deprimida tem nove vezes mais risco de se separar do que uma pessoa que tem um relacionamento com alguém que não é deprimido.

Em um estudo, um grupo de estranhos foi exposto a pessoas deprimidas por um curto período de tempo. Os pesquisadores pediram aos estranhos que expressassem seus sentimentos enquanto estavam em contato com pessoas deprimidas. Os estranhos relataram sentir-se abatidos e reclamaram da atitude das pessoas deprimidas.

Os pesquisadores concluíram que a depressão pode afetar claramente aqueles que vivem com uma pessoa deprimida.

Os pesquisadores relatam que essa descoberta é uma má notícia para as pessoas deprimidas porque relacionamentos íntimos e solidários são essenciais para a recuperação da depressão, e se a pessoa está deprimida não apenas é muito mais provável que aja uma ruptura no relacionamento como a possibilidade de recuperar o ex-namorado/a é muito mais baixa.

Em seguida, os autores sugerem oito diretrizes para casais, com sugestões sobre como interagir efetivamente e reduzir a tensão no relacionamento. Essas diretrizes incluem aprender como depressão afeta a maneira da pessoa agir e pensar, ter expectativas realistas de que é difícil manter ou recuperar um relacionamento com uma pessoa deprimida, dar apoio não qualificado, manter uma rotina, expressar sentimentos, não pensar nas atitudes de uma pessoa com depressão como uma ofensa pessoal e pedir ajuda medica especializada.

Os autores explicam cada uma dessas diretrizes em detalhes. Por exemplo, tentar não tomar a depressão como um assunto pessoal ajuda o parceiro de apoio a culpar a depressão, e não o parceiro quando o parceiro deprimido faz algo irritante ou executa alguma ação que nos pode chatear fortemente.

Esse método de pensamento permitirá que o parceiro de apoio pense constantemente que as ações do parceiro deprimido são parte da depressão e não intencional intencionalmente relacionadas com ele ou com o relacionamento.

Em outro estudo, que aborda a maneira como nos devemos relacionar com pessoas deprimidas em um relacionamento, vários psicólogos descrevem como a depressão interfere nos relacionamentos com os parceiros, fomentando dúvidas, críticas e hostilidade.

Segundo os mesmos psicólogos, a dúvida é um sentimento interior que diz à pessoa deprimida que ela é imperfeita, sem valor. Eles afirmam que pessoas com baixa autoestima tendem a perceber seu relacionamento como mais frágil e tendem a esperar que seus parceiros tenham uma estimativa menor deles, ou seja, exigem mais atenção e compreensão da parte dos parceiros.

Vários estudos mostram que a maneira como os casais vêem a vida, negativa ou positivamente, terá um impacto direto em seu relacionamento. Os psicólogos sugerem que a melhor maneira de ter um relacionamento saudável é substituir a dúvida por autocompaixão, o que significa ter mais empatia, preocupação e cuidado genuíno por si próprio.

Os investigadores acrescentam que tomar uma ação tão pequena quanto lavar o carro ou fazer uma limpeza doméstica pode reduzir o senso de insegurança, promover a autocompaixão e melhorar a autoestima. Os investigadores acreditam que, à medida que as pessoas constroem e ganham autoconfiança, elas verão esses sentimentos positivos refletidos no amor que são capazes de dar e receber dos seus parceiros.

A crítica de outras pessoas, incluindo do parceiro, é outro aspecto da depressão que tende a fazer com que as coisas negativas pareçam maiores e mais intimidantes para os doentes, minimizando ou diminuindo as coisas boas da vida.

Os autores apontam também que a depressão na forma de hostilidade torna a pessoa propensa a ser combativa e a discutir mais com o seu parceiro por coisas muitas vezes insignificantes.

Explica que, quando os parceiros continuam se criticando mutuamente, cria o terreno propenso para uma luta pelo poder surgir, o que leva ao argumento de que “eu estou certo, você está errado, e vou provar para você que eu estou certo”.

Como resultado, os parceiros começam a se ver como inimigos, em vez de estarem enamorados um pelo outro, e esse ambiente hostilidade fará com que os casais se sintam desconectados e quanto a depressão pode prejudicar um relacionamento.

Adotar uma atitude positiva pode fortalecer um relacionamento. Uma atitude positiva pode lutar contra a depressão e ajudar a recuperar um ex-namorado cuja depressão levou à separação. Mas, como é logico, isso só pode ser conseguido com sucesso quando a pessoa é tratada e consegue ultrapassar a depressão.

A depressão é uma doença que mesmo nos dias de hoje ainda é mal compreendida, e que muitas pessoas não conseguem identificar, a começar pelos próprios doentes. E é uma das causas mais comuns que levam a que um relacionamento falhe, a que a reconquista de um relacionamento não seja conseguida, e a que a pessoa acabe sozinha independentemente dos esforços que faça para voltar para o seu ex-namorado ou ex-marido ou encontrar mais alguém pessoalmente ou encontrar namorado/a nas redes sociais como nos dias de hoje é muito comum.

Estas pessoas são mal aceites logo nos primeiros encontros porque se tornam irrequietas, ansiosas e desconfiadas, que é aquilo que ninguém gosta numa relação.

About Pedro

O Pedro é um entusiasta pela natureza e os comportamentos humanos, onde se encaixa os relacionamentos amorosos, os tratamentos naturais e os animais de estimação, entre outros temas similares.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *