A Sexualidade e Seus 10 Maiores Mitos

homem a masturbar-se

1 – O primeiro mito sobre a sexualidade do homem começa na adolescência em que muitas pessoas desaconselha a masturbação dizendo que causa diversos tipos de problemas sexuais e não só.

Mas a verdade é que a masturbação e, por norma, a primeira experiência sexual que um adolescente tem e não causa qualquer problema mental ou sexual, desde que não se torne um vício que depois venha a comprometer no futuro a sexualidade com uma parceira.

2 – Outro mito muito comum na adolescência é que a primeira vez que uma mulher é penetrada causa sempre forte dor e provavelmente sangramento.

A verdade é que o sangramento muito comum, e sinônimo de virgindade, nem sempre ocorre, pois se o hímen for muito elástico ou o membro masculino pequeno ele pode nem se romper. A dor é outro mito pois as relações sexuais apenas são dolorosas quando a mulher está demasiado tensa e não consegue a lubrificação necessária.

Uma das maneiras de evitar a dor nos primeiros encontros sexuais é usar um lubrificante para compensar a falta de lubrificação que uma adolescente ou mulher jovem e inexperiente pode não ter devido a não conseguir o estado de excitação necessário ou usar a penetração cedo demais.

3 – O mito de que o sexo anal causa hemorroidas também é muito comum, mas igualmente falso.

O que causa as hemorroidas são uma predisposição genética para este problema e a falta de fibras na alimentação da maioria das pessoas, que leva a que as fezes fiquem muito duros e grossas e causem uma dilatação anormal doa vasos sanguíneos que rodeiam o anus.

No entanto, para quem já sofre deste problema, o sexo anal tem tendência a agrava-lo.

4 – Outro mito muito comum é que engolir o esperma quando se faz sexo oral é prejudicial à saúde.

A verdade é que o sêmen para além de um elevado número de espermatozoides contém muitas outras substancias, mas nenhuma delas faz mal à saúde. O único problema é se o homem for portador de alguma doença sexualmente transmissível. Mas neste caso o coito vaginal sem preservativo ainda é mais prejudicial.

Interromper o coito evita a gravidez

5 – Outro mito é que interromper a relação antes da ejaculação evita a gravidez.

Embora na verdade evitar ejacular dentro da vagina possa evitar uma gravidez não é um método minimamente seguro, porque logo no começo da relação o pênis larga um liquido lubrificante, que já contém alguns espermatozoides que podem causar a gravidez.

6 – Outro mito é de que a disfunção erétil se deve a uma baixa libido no homem.

A verdade é que a disfunção erétil pode-se dever a inúmeros casos e entre os mais comuns estão os problemas de circulação sanguínea e não a falta de libido. A diabetes, o peso a mais, o stress e problemas psicológicos (incluindo a depressão) estão igualmente entre os principais responsáveis.

No entanto o homem que sofre com este problema deve procurar tratamento para a disfunção erétil, porque para além do embaraço sexual que causa pode ser sinal de outras doenças, algumas das quais podem ser graves.

7 – Um mito muito popular em todas as idades é que o homem está sempre pronto e desejoso de fazer sexo.

A verdade é que o homem, embora por norma seja mais facilmente excitável, principalmente por estímulos visuais, não está sempre pronto nem desejoso de ter sexo. Tal como a mulher o homem sofre de períodos de maior ou menor vontade sexual, que pode ter a ver com a sua vida sexual, sua relação, sua vida particular ou profissional.

Este é um mito que é perigoso porque pode afetar psicologicamente um homem que se vê na obrigação moral de ter que fazer uma coisa para a qual não está preparado ou com vontade.

8 – Outro mito é que os homens têm sempre mais desejo sexual que as mulheres.

A verdade que os homens têm mais testosterona, que é a hormona causadora do desejo sexual, mas existem muitas mulheres que têm forte desejo sexual, superior ao da maioria dos homens, enquanto alguns homens têm pouco desejo sexual e precisam de ser estimulados para o conseguirem.

Este problema tem a ver com a pessoa em si, em primeiro lugar, e depois com a maneira como foi educada sexualmente, como viveu os seus primeiros encontros sexuais, a sua educação e a sua crença religiosa. Estes e outros fatores influenciam fortemente o desejo sexual, independentemente de se ser homem ou mulher.

9 – Outro mito é a relação que existem entre amor e desejo sexual, ou seja, se não existe desejo sexual também não existe amor.

O desejo sexual está associado a um processo bastante complexo de hormonas, como a testosterona, e neurotransmissores que estão intimamente ligados a fatores psicológicos, que podem estar ou não relacionados com o sexo. Uma pessoa pode amar o/a seu parceiro e por motivos hormonais ou psicológicos, como o estresse e a depressão, não sentir desejo sexual.

Ponto G na mulher

10 – Um mito mais famoso, que quase todo mundo acredita é na existência do famoso ponto G na mulher.

A verdade é que muitos cientistas por este mundo fora têm procurado por ele em mulheres de todas as raças e religiões e nunca nenhum conseguiu encontra-lo. Um estudo feito na Universidade de Londres King’s College, em 1804 mulheres de diferentes idades e etnias não conseguiu encontrar qualquer evidencia da existência desse tão famoso ponto G.

About Dr. Pedro

Dr. Pedro is a researcher and investigator on general health and relationships, with a special focus on natural treatments. In this website we want to provide you with information about natural treatments and will help you to protect yourself and enjoy a healthy and balanced life.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *